Soneto de Despedida

Adeus, vou partir e não quero como outrora
Implorar-te um amor que não me podes dar…
O amor nasce espontâneo, o amor nunca se implora
E nesta vida se ama a quem se quer amar…

Talvez seja por isso então que vou-me embora…
Também não quero mais tua vida amargurar
Com meu sofrer. E vês? Eu me despeço agora
Sem a mínima queixa e sem mesmo chorar…

Não fiques triste sei que me tens amizade
Sei que terás de mim um pouco de saudades…
Pois sempre fui bondosa e nunca te magoei

Mas é mister partir… o destino cruelmente
Fez que tu me estimando embora imensamente
Não pudesse amar-me, assim como te amei…

Fonte: Mensagens e Poemas

Deixe uma resposta