Somos culpados

Meu pensamento navega no silêncio da noite
As vezes quebrado pelo suspiro de alguém que,
Tranqüila descansa em seu leito
Mesmo distante meus olhos te vêem
Meus ouvidos, escutam seus pensamentos
Se sonhares, saberei
Ligados, unidos em pensamento.
Sufocados, na angústia da dor
Matando querendo viver esse amor
Lindo como pluma, fraco como cristal
Sim, somos culpados
Por construirmos uma redoma
Egoisticamente, cada um a sua
Buscando o caminho distante
Escondendo-se atrás da cortina,
Uma sombra, dizendo em transparência
Guardando para si o sentimento, sem coragem
De ao menos dizer EU TE AMO
Esquecendo que todo céu de brigadeiro, Tem suas turbulências
Não enxergando o arco-iris, após nebulosa tempestade
Continuamos, matando, morrendo
Escondendo em casco de tartaruga
vergonha de demonstrar o que sentimos
e sabemos;
SOMOS CULPADOS

One Response

  1. ANA Barbosa de Oliveira 26 de fevereiro de 2009

Deixe uma resposta