Pelo deserto

Desesperado desejoso de tua presença, comecei a andar, te procurei ente os desertos,
e lá as areias me falaram que você era mais forte que elas
pois o vento as levava e a você os ventos de lá nada faziam…
Procurei você entre os oceanos, e de suas profundezas os grandes seres disseram: –
Aqui ?!… Impossível quem procuras é mais profundo e não podemos tocar nem ver…
Passei a procurar então entre os campos, e as flores falaram: –
Porque procuras entre nós simples flores?…
Tua flor é a mais rara, somos feias e pequenas perto dela…
Triste e só, mas sem perder a esperança, te procurei entre vulcões e eles logo avisaram:
– Aqui não vais encontrar a quem buscas, quem desejas encontrar tem mais força que um vulcão e muito mais calor, e poder…
Então, já tomado pelo cansaço, sentindo a derrota, debrucei e comecei a chorar!…
As lágrimas rolavam pela face e ao cair entre as pedras desenhavam teu rosto…
Inconformado, como louco!… Pedi aos céus para que me levasse a você, e dentre as nuvens
um anjo veio tomando-me pela mão, levou-me até onde estarias e lá deixou-me,
sobre alvos lençóis de seda!…
Eis que surge você, em meio a névoa do desconhecido tomando conta de mim,
agora não saberei mais viver sem você,
AMOR!

Deixe uma resposta