Olhando um rio

Se tu perdeste o bem melhor que tinhas,
o que te enchia o pobre coração,
e esmagado com a perda te definhas
achando agora tudo baço e vão:
– procura um rio, vai mirar um rio!
Através da neblina fina e ardente
das lágrimas, contempla o descer frio
e impassível e eterno da corrente!

Deixe uma resposta