O Mundo Acabou

Carmino avistou Adriana e Lílian conversando, mulheres floridas no canteiro da criançada. Adriana, cada dia mais bonita, cada dia mais deliciosa. Quando Carmino pensava nela, parecia que se conheciam desde sempre, que nunca faltaria assunto entre os dois, que podiam passar a vida inteira de mãos dadas, rindo na roda-gigante da quermesse. Mas ali, no pátio da escola, cada metro era infinito, suas pernas amoleciam e ele esquecia as palavras todas. Quando os olhos de Adriana fulgiram na sua direção, Carmino agarrou o braço de Rodolfo André e apontou para o lado oposto:
–Vamos pra cantina. Preciso tomar uma caçulinha.

Guilherme Vasconcelos

O Mundo Acabou em 1973, pág 17, Ed 7Letras

Deixe uma resposta