O Futuro da Humanidade

“Olhando para ele em um clima de eterno amor, ela falou de alguns temores reais e não frutos de sua doença. Como amava poesia, também usou a inspiração:
– Obrigada por você existir. Mas tenho medo de que o nosso amor se evapore como o orvalho ao calor do sol.
– Em alguns momentos, eu a decepcionarei, em outros você me frustrará, mas, se tivermos coragem para reconhecer os nossos erros, habilidade para sonharmos juntos e capacidade para chorarmos e recomeçarmos tudo de novo tantas vezes quantas forem necessárias, então o nosso amor será imortal.
– Eu o amo como nunca amei ninguém, ela disse, tentando aproximar-se para beija-lo …”

Trecho do livro
O futuro Da Humanidade – Augusto Cury

Deixe uma resposta