Nos braços da saudade

Levantei com uma impressão de que meu dia seria péssimo, uma angústia invadia meu peito, sentia falta de ar.
Uma dor me incomodava, não sabia o que fazer, já estava prevendo que tudo que faria seria mal acabado.

Resolvi, então, passar o tempo em frente ao computador para ver se aquela angústia evadia-se, foi pior!
As lágrimas teimavam em rolar pelo rosto e então percebi que se tratava de saudade.

Revirei todas mensagens de auto-estima, ouvi músicas, e a solidão tomou conta de todo o meu ser.

Voltei ao meu passado e, lembranças daquele amor que marcou minha vida vieram à tona.
Saudade daqueles beijos apaixonados, daquelas juras de amor eterno.
Quantas saudades afloraram em meu viver!

E hoje, nem eu me acho!

Agora, decorrido todos esses anos de espera, de lembranças, de saudades, não vislumbro mais sua imagem, e, restam-me a angústia e a solidão.
Quisera poder voltar no tempo e reparar o que não foi reparado!
Quisera poder voltar no tempo e dizer novamente o quanto eu te amo!
Quisera poder voltar no tempo e dizer o quanto você faz falta!

Como seria maravilhoso poder ouvir sua voz novamente, sentir seu cheiro e deitar em seus carinhos.
O tempo passou, tudo se modificou, e a vida segue seu curso normal, carregando no seu seio a minha saudade.

Hoje procuro sufocar minha dor sabendo que desejo para quem mais amo na vida a felicidade plena.
Pois, devemos oferecer para quem realmente amamos o melhor.
E por mais que toda a angústia me devora, todas as lágrimas caiam de meus olhos, eu sempre a amarei.

Então, continuo vivendo com a dor da saudade, mas carregando no coração as lembranças de seu sorriso, de seu cheiro e de sua voz.
Passe o tempo que passar, saiba que sempre, ainda, vou te amar.
E, hoje, me aconchego, me deito e me deleito nos excruciantes braços da saudade.

Soélis Sanches

One Response

  1. miriam 1 de dezembro de 2009

Deixe uma resposta