Na Páscoa

Nas aldeias vilas e cidades
Ouvem-se o toque das trindades
Sempre no dia de Páscoa
Invoca a presença de Deus, na cristandade
Porque ele bem sabe, quem o ama
Entre a sabedoria da divindade
No cântico de amor, está o poema
Sob a luz do sol tudo é claridade,
Que abrange a terra na eternidade
Por isso, entre lágrimas eu procuro
Encontrar um lugar seguro
Para estar sempre ao lado de Jesus
Quem sabe? Se não é a mesma cruz
Que Deus pôs, no meu caminho escondida
Trago em mim a dor tão conhecida
Onde os sinos tocam dissabores
Para as crianças homens e mulheres
Que rezam no chão baixinho
Eu choro como um pássaro sem ninho

Deixe uma resposta