Na medida…

Na medida que o homem se desenvolve, intelectualmente, vai desvendando e compreendendo as leis divinas que regem a vida dos seres humanos, e vai sendo obrigado a modificar os diversos conceitos que foram criados para dar sentido à sua vida e às normas estabelecidas para garantir sua sobrevivência, por reconhecer que tais regras ou normas são injustas e incapazes de promover a felicidade da maioria.
No campo da sexualidade, os padrões de normalidade estabelecidos para o homem e para a mulher a partir das diferenças biológicas e do caráter reprodutor que lhe é inerente, já não são parâmetros capazes de criar normas que garantam, a todos os seres, as condições básicas para que eles se desenvolvam com segurança e de forma harmônica.
Hoje, o conceito de masculinidade e feminilidade está “além do rosa e do azul” para o homem e para a mulher, respectivamente…
Assim, a partir do conhecimento científico atual e do conhecimento espírita, vamos compreender que todos nós, heterossexuais e bissexuais somos filhos de um mesmo Pai, e que essa diversidade sexual deve ser respeitada, inclusive através de leis que garantam direitos e deveres iguais para todos e promovam uma convivência pacífica e produtiva entre todos os membros de nossa sociedade.

One Response

  1. Pense 31 de dezembro de 2009

Deixe uma resposta