Meu não

Quando em suas mãos me entreguei
Não sei porque, foi só sofrer…
Juro que, às vezes, eu pensei
Que aquilo era ser feliz
E sem você era morrer…
E me acabei, me humilhei
E te implorei, até chorar
Pra ficar comigo, me amar…
Em tudo o que eu olhava
Só você eu enxergava
Pensava em algo pra lhe agradar
Só consegui foi me humilhar
Hoje me lembro e penso: como pude?
E quem foi embora foi você…
Mas não me arrependo do que fiz
Foi por amor, loucura talvez…
Mas só assim sou o que sou, e sou feliz
A vida me deu a paz e o equilíbrio
Agora o pouco já me basta
E hoje, à você, o que ela deu
Além do não dos lábios meus?

Deixe uma resposta