Evocação aos Farroupilhas

Estancieiros e experientes

Forjados em muitas batalhas

Não encontraram muralhas

Que os pudesse atrapalhar

Excelente poderio militar

De índios e peões xucros

Peritos em bons trabucos

Porque a guerra é presente

Na tradição de um gaúcho

Formando qüeras valentes!

O aumento dos impostos

Incomodou os caudilhos

Deixando tauras potrilhos

Por aquelas indecências

Havia muita incoerência

Cobrado na exportação

Uma perfeita exploração

E outros tantos encostos

Resultando em revolução

Ao somatizar os desgostos!

Veio o aumento do sal

E o charque importado

Dos impostos liberado

Um golpe na indústria

Aumentando a angústia

Hermanos do Uruguai

Não nos compraram mais

Quase nenhum animal

A história então se vai

Contra o império afinal!

Até que Bento Gonçalves

Mais um dos nossos Silva

Cabo Rocha, outro biriva

O mesmo capitão Manoel

Marcou o primeiro tropel

No dia 20 de setembro

Data essa que relembro

O Gaúcho não é debalde

Que usou todo membro

Atropelando os covardes!

Por isso o orgulho cresce

Dentro do peito Gaúcho

Sem confundir com luxo

Seguimos na mesma trilha

Dos gigantes Farroupilhas

Alerta ao homem do campo

Vivenciamos com espanto

Acho que estamos prestes

Te acautela por enquanto

E te prepara pra o conteste!

Sou Gaúcho e me basta

Ter diploma até é bom

Mas isto não dá o tom

Pra me colocarem freio

Não adianta os meneios

De novos donos do povo

Se precisar vou de novo

Lutar contra essa casta

Políticos pouco honrosos

Com atitudes devassas!

Alertai-vos Rio-Grandenses

Deixe uma resposta