Desejo Eterno

Lá fora rompe o dia,
luz esmaecendo a penumbra da alcova!
Doendo os olhos sonolentos,
quero ver-te, aqui, ao meu lado…
Não posso mais perdê-la!
Que passem as horas,
que o tempo faça perderem-se
nossas formas “graciosas”,
não importa…
Doendo os olhos
desejarei ver-te ao meu lado…
Como agora!
Quando nem puder mais ver-te,
quererei ter-te sempre a meu lado…
Quando o viço dos nossos corpos
for apenas passado
faremos amor com nossas almas…
Quando não raiar mais nenhum dia a mais,
e de ais viver o passar das horas,
desejarei que me sejam enfim, aqui, as últimas…
Seguirei o rastro de amor,
deixado por tua alma…
E irei ao teu encontro!
Seremos a luz das manhãs dos amantes…
Como esta luz que envolve teu corpo com graça,
que se reflete na lágrima,
que de meus olhos escapa,
tão carregada de emoções,
das horas de amor da nossa noite passada!

Deixe uma resposta