Dama dos mares

Aqui estou,
como servo das minhas palavras,
amigo dos astros,
poeta por paixão,
compondo minha melancolia
em teias, colméias e a esperança
de abrir um ciclo em cada poema,
inspirado na dama dos mares,
na mulher dos meus ensejos!

Não há limites para voar
com os pés plantados na emoção
de sentir o respirar apaixonado,
inalando pelos poros o aveludar
da tua voz, versejando a sedução
anunciada na penumbra,
embriagada nas tendas e
nas roupagens do oriente!

Nas bucólicas enseadas
espelho-me em teu olhar,
trago-te na ponta da pena
dando-te vida e valsas
para os bandolins,
faço-te princesa e campesina,
dos saraus, das colheitas
para o todo sempre,
amante amor!

Deixe uma resposta