Asas para liberdade

Que deslumbre!!!
Eu posso voar!
Posso avistar daqui de cima
as pequenas casas de seres humanos tão grandes.
Monto uma prosopopéia;
dou vida às ruas, cores e postes.
Apareço entre o bando de aves que emigram.
Passo por entre as nuvens
enormes para emergir ao alto,
mudando sua forma.
Como é bom voar!
Visito pessoas distantes de mim,
não há espaço intransitável,
Sinto uma paz inarrável,
Sensação que me domina e que é a única coisa a qual me agarro para não cair do céu.
Num vôo rasante, assusto, emociono, divirto, zango.
Mas, enfim, o que importa se eu vôo?
Mesmo que esse vôo figure apenas no plano de meu delírio de sonhos, solidão e esperança?

One Response

  1. anderson 31 de janeiro de 2009

Deixe uma resposta