AJUDEMOS O PENSAMENTO(Ideal Espírita)

A leitura de uma mensagem, nos instantes críticos da vida, vale mais que a leitura de um compêndio, fora deles.
Aprendamos a admoestar-nos, antes que a vida nos admoeste: na alimentação
excessiva, moderemos o apetite; na preguiça, trabalhemos honestamente; na irritação sistemática, governemos as emoções.
As coisas que são impossíveis aos homens são possíveis a Deus.
Qual é o efeito renovador de um sorriso? É a luz penetrando nas trevas. Não neguemos a dádiva do sorriso seja a quem for: sorriamos na dificuldade, na luta, na dor.
Jesus caminha na terra procurando certa categoria de doadores difíceis de encontrar, os doadores de suor, que trabalhem desinteressadamente na construção de seu reino de luz.
Existem pessoas que percorrem o mundo inteiro à procura de si próprias.
Se não dominarmos o hábito o hábito acaba nos dominando.
Antes da fatalidade da morte, existe a fatalidade da vida.
Cumpramos os próprios deveres sem esperar que os amigos nos teçam laivos de gratidão.
Grafemos páginas consoladoras e as divulguemos sem a pretensão de sermos compreendidos ou elogiados.
Fujamos da intoxicação mental da mágoa. Se amigos desertaram, pensemos na árvore que, por vezes, necessita da poda, a fim de renovar a própria existência.
Se sofremos prejuízos materiais, recordemos que, a perda do anel é a defesa do braço.
Sinais de alarme: impaciência; acharmos que a nossa dor é maior que a dos outros;
vermos ingratidão nos amigos; imaginarmos maldade nas atitudes dos companheiros; comentarmos o lado menos feliz dessa ou daquela pessoa.
Diminuamos as próprias necessidades e aumentemos as concessões; intensifiquemos o trabalho e reduzamos as quotas de tempo inaproveitado; elevemos as idéias e reprimamos os impulsos; libertemos o “homem presente” na direção de Jesus e aprisionemos o “homem passado” que ainda vive em nós.
O serviço ao próximo é a única medida que fornece exata notícia do nosso merecimento espiritual.
Evitemos: distração sem propósito; visita inútil; discussão sem proveito.

Deixe uma resposta