A fotografar vidas

capturo e eternizo
com o vidro despolido
de minha Yashica
teu sorriso, teu gesto
tua vida em começo
me surpreendo com a idéia
pueril, mágica e banal
de guardar as vidas
queridas
nas gavetas
rio-me
de minha onipotência

in “Lições de Tempo”

Dalila Teles Veras

Fonte: Jornal de Poesia

Deixe uma resposta