Natureza

“A natureza é sábia e justa. O vento sacode as árvores, move os galhos, para que todas as folhas tenham o seu momento de ver o sol.” (Humberto de Campos)

Fonte: mil-frases.blogspot

Amigo

Nesta vida inteira vi muitas definições de “amigo”
nenhuma tão verdadeira quanto esta,
que tenho agora comigo.

Não foi uma definição escrita, lida, ou mesmo falada.
Foi sua atitude bonita, sem ter pedido nada.

Não poupou as palavras, ditas com sinceridade.
Foi leal, foi fiel, sem nenhuma maldade.
Abusou da franqueza dizendo o que achou que devia,
mas mantendo a fineza, que uma dama merecia.

Mostrou-me o caminho que eu não deveria tomar,
pois, como um pássaro cego, eu tentava voar.

Na profundidade desse seu gesto, pude compreender:
Você sabia muito mais de mim,
do que eu deveria saber.

E nesse seu ombro amigo eu pude, inteira, me apoiar.
Eu que só queria sua mão para segurar.

Para “amigo” não busco mais nenhuma definição,
porque carrego esse seu gesto bem
guardado no coração.

Fonte: site Declaração de Amor

Te Amo, Sabia?

Engraçado, Eu te Amo, sabia? Mas engraçado por que? Não é tão simples amar!

Talvez eu ache engraçado esse seu jeitinho que me faz de repente.

Eu não te entendo, sabia?
Mas talvez nem eu me entendo!
Não sei se é porque te amo e não sou amado
mas o que importa?
o Sol aquece e não é aquecido!

Você é linda, sabia?
Linda, mas como é ser linda?

Feliz dia das mães, minha sogra

publicidade anuncie

Você é uma pessoa forte, batalhadora, e cheia de amor
Deus, sabe como fazer as coisas, você é admirável e corajosa.

Quando nos reunimos em seu lar, fico observando
quanto você é importante no nosso mundo familiar
une em torno de sí a família,
é toda carinho, compreensão e amor.

Tem sempre um sorriso e uma palavra de conforto nos lábios.
Você é sábia, sabe como agir, e quando agir
sempre tem o respeito de todos
sabe como agradar a todos
e como confortar.

Eu a considero minha mãe
por fazer parte da sua familia
e ser tão integrante do seu meio.

Obrigado por me amar, me acolher e me dar o amor
que eu tanto preciso.

Deus a abençoe e de sempre forças
para estar sempre renovada a cada dia.

Feliz Dia das Mães


Fonte: Mensagens e Poemas

Retrato de Mãe

publicidade anuncie

Uma simples mulher existe que,
pela imensidão do seu amor,
tem um pouco de Deus,
e pela constância de sua dedicação
tem um pouco de anjo;

Que, sendo moça, pensa como uma anciã e,
sendo velha, age com todas as forças da juventude;
quando ignorante, melhor que qualquer sábio desvenda os segredos da natureza, e, quando sábia, assume a simplicidade das crianças.

Pobre, sabe enriquecer-se com a felicidade dos que ama e, rica, empobrecer-se para que seu coração não sangre, ferido pelos ingratos.
Forte, entretanto, estremece ao choro duma criancinha, e fraca, não se altera com a bravura dos leões.
Viva, não sabemos lhe dar o valor porque à sua sombra todas as dores se apagam.
Morta, tudo o que somos e tudo que temos daríamos para vê-la de novo, e receber um aperto de seus braços e uma palavra de seus lábios
Não exijam de mim que diga o nome dessa mulher, se não quiserem que ensope de lágrimas este álbum: porque eu a vi passar no meu caminho.

Quando crecerem seus filhos, leiam para eles esta página.
Eles lhe cobrirão de beijos a fronte, e dirão que um pobre viandante, em troca de suntuosa hospedagem recebida, aqui deixou para todos o retrato de sua própria M

Canção do Exílio

Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá;
As aves, que aqui gorjeiam,
Não gorjeiam como lá.

Nosso céu tem mais estrelas,
Nossas várzeas têm mais flores,
Nossos bosques têm mais vida,
Nossa vida mais amores.

Em cismar, sozinho, à noite,
Mais prazer encontro eu lá;
Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá.

Minha terra tem primores,
Que tais não encontro eu cá;
Em cismar

Canção do exílio

publicidade anuncie

Se eu tenho de morrer na flor dos anos
Meu Deus! não seja já;
Eu quero ouvir na laranjeira, à tarde,
Cantar o sabiá!

Meu Deus, eu sinto e tu bem vês que eu morro
Respirando este ar;
Faz que eu viva, Senhor! dá-me de novo
Os gozos do meu lar!

O país estrangeiro mais belezas
Do que a pátria não tem;
E este mundo não vale um só dos beijos
Tão doces duma mãe!

Dá-me os sítios gentis onde eu brincava
Lá na quadra infantil;
Dá que eu veja uma vez o céu da pátria,
O céu do meu Brasil!

Se eu tenho de morrer na flor dos anos
Meu Deus! não seja já!
Eu quero ouvir na laranjeira, à tarde,
Cantar o sabiá!

Quero ver esse céu da minha terra
Tão lindo e tão azul!
E a nuvem cor-de-rosa que passava
Correndo lá do sul!

Quero dormir à sombra dos coqueiros,
As folhas por dossel;
E ver se apanho a borboleta branca,
Que voa no vergel!

Quero sentar-me à beira do riacho
Das tardes ao cair,
E sozinho cismando no crepúsculo
Os sonhos do porvir!

Se eu tenho de morrer na flor dos anos,
Meu Deus! não seja já;
Eu quero ouvir na laranjeira, à tarde,
A voz do sabiá!

Quero morrer cercado dos perfumes
Dum clima tropical,
E sentir, expirando, as harmonias
Do meu berço natal!

Minha campa será entre as mangueiras,
Banhada do luar,
E eu contente dormirei tranqüilo