Alienígena no Posto

Um disco voador pousa num posto de gasolina. Nele aparece o nosso alien, ele vai até a bomba de gasolina e pergunta:
– Me leve ao seu líder!
Nada. Novamente pergunta:
– Me leve ao seu líder!
Nada e acaba se enfurecendo dizendo:
– Quer fazer o favor, de tirar o dedo da orelha e me escutar, pô!!!!!

Abdução de Lula

Lula é abduzido por um E.T. e o E.T pensa consigo mesmo:
– Que criatura será essa diferente dos outros políticos? Deve ser o Bush! Não, o Bush tem autoridade frente as crises estrangeiras. Deve ser a Heloísa Helena. Haa não, aquela ali é conhecida pelas roupas que usa. Deve ser o Zé Dirceu. Pode ser, se bem que de político ladrão tem muito por aí.
Depois de horas pensando o extra-terrestre diz! Caramba, devo ter pego um de meus companheiros por engano em meu planeta! Está faltando um dedo!!!!!

Amigos ou Inimigos?

Um dia o filho chega gritando:
-Pai!!! Pai!!! os alienígenas são amigos ou inimigos?
E o pai pergunta:
-Por que meu filho?
-Porque estão levando a titia.
-Então são amigos.

Aperto no Estádio

publicidade anuncie

O sujeito estava assistindo a um jogo de futebol no estádio quando, de repente, sentiu alguém apertando-lhe o ombro.
Ele olhou para trás e viu um sujeito baixinho que lhe sorria.
Voltou-se para assistir o jogo e alguns minutos depois sentiu o aperto no ombro novamente. Olhou para trás com cara de poucos amigos e lá estava o baixinho sorrindo.
Pouco depois, outro aperto.
– Escuta aqui – gritou ele, com o dedo em riste no nariz do baixinho. – Se você apertar o meu ombro novamente eu vou lhe dar um chute no saco.
O baixinho esboçou um sorriso sem graça e ficou quieto.
Dois minutos depois, novo apertão. O sujeito perdeu a paciência e deu um tremendo chute na virilha do baixinho e, como este último continuava impassível, ele perguntou:
– Ei! Eu te dei um chute no saco tão forte que até o meu pé está doendo e você parece que não sentiu nenhuma dor, como é isso?
E o baixinho explicou:

Caçando alienígenas

O sujeito era apaixonado por discos voadores e seres do outro mundo. Vivia lendo tudo o que se publicava a respeito desse assunto, tanto que ficou fanático e vivia na expectativa de encontrar algum alienígena.

Toda a noite saía a rondar por lugares ermos para ver se encontrava um extraterrestre.

Certa noite, numa de suas excursões noturnas, avistou um vulto de cabeça bem grande, braços longos, pernas curtas, rentes ao chão.

Emocionado, com voz embargada, ele falou:

– Luiz Oliveira, fazendo contato!

Ao que o ser estranho respondeu:

– Severino da Silva, fazendo cocô!