Piadinha de Sogra

O sujeito abre a porta e dá de cara com a sogra.
- Olá, sogrinha! – cumprimenta ele, fingindo satisfação. – Que bom que a senhora veio nos visitar.

Então ele percebe que ela está com uma maleta nas mãos.

- Quanto tempo a senhora pretende ficar com a gente? – pergunta, preocupado.

- Ah! Acho que até vocês se cansarem de mim!

- Sério mesmo?
Não vai nem tomar um cafezinho?

Fonte: Mensagens e Poemas

Dez Melhores Presentes para a Sogra

1 Um jogo vencido da Mega-Sena.

2 Uma entrada de pedestre para o Simba-Safári.

3 Uma passagem para Bagdá com direito a city tour em carro bomba.

4 O último CD do Oswaldo Montenegro.

5 Um churrasco especial, feito só com carnes de frango com gripe asiática e vaca com febre aftosa.

6 Um pit bull com raiva.

7 Uma alça, para ela que é uma mala.

8 Uma plaquinha com a frase “me chute”, para ela pendurar no pescoço.

9 Uma coleção de DVDs pornôs, com os clássicos “A menina e o Jumento” e “Meu nome é Cavalo”.

10 Uma cesta da Corega.

Fonte: Mensagens e Poemas

Mensagem de Sátira na Lápide da Sogra

Aqui descança minha querida sogra
Maria Gertrudes…
Senhor,
Recebe-a com a mesma alegria
com que tem mando…

Fonte: Mensagens e Poemas

Querida Sogra

Pessoa muito querida, minha sogra
Carinhos, generosa, compreensiva

Mensagem Carinhosa para Sogra

Você, que é a mãe do meu namorado
Mas eu sinto que você é também a minha mãe…
E eu quero lhe agradecer pelo maravilhoso filho que colocaste no mundo
Tão inteligente… amável e Gentil…
Ele é assim tão generoso por causa de tua generosidade…
Ele é compreensível… porque deste a ele compreensão…
Ele é cheio de entusiasmo e é tão carinhoso,
Porque você o criou numa casa cheia de amor

Eu…
realmente não tenho palavras para expressar o quanto lhe estimo e lhe aprecio
E o quanto estou agradecida
por você ser a Mãe do meu namorado…
E… neste dia que lhe é dedicado,
Quero deixar aqui expresso o meu carinho e a minha consideração…

Fonte: Mensagens e Poemas

Nora versus Sogra

Se quando você pensa na sua sogra, as seguintes imagens vêm à sua mente: de um réptil sibilino chocalhando miríades de guizos; uma bruxa de nariz adunco com verruga bem cabeluda na ponta, cortando o espaço a bordo de uma reluzente vassoura e outros pensamentos desse naipe, saiba que, é bem possível que ela pode estar tendo visões semelhantes a seu respeito.

A Sogra e a Nora Ideal

publicidade anuncie

Era uma vez um rapaz, primogênito de uma família de vários irmãos, que gostava muito de berinjelas. A sua mãe preparava-as de diversas formas, e a verdade é que se ia superando progressivamente na elaboração dessa aprazível iguaria.
Todos os dias, ao voltar do trabalho, o rapaz chegava a casa e encontrava o seu prato predileto. E não se sabe quem se deliciava mais, se o jovem vegetariano, se aquela mãe que, diante da boa acolhida dispensada ao legume e com uma espécie de secreto orgulho, havia feito da arte de preparar berinjelas um modo de demonstrar o seu carinho e uma autêntica meta profissional.

Em pleno auge de entusiasmo pelas berinjelas, o rapaz casou-se. Um belo dia, convidou a mãe para jantar. A nora serviu como primeiro prato – é claro! – berinjelas. A sogra provou-as: estavam simplesmente ma-ra-vi-lho-sas. E sentiu então uma grande tristeza, mais ou menos como a que a gente sente quando perde o emprego…

Naquele momento, a pobre mulher pensou que acabava de recuar muitos pontos no ranking materno. Mas, como era uma sogra diplomática, soube disfarçar o seu desgosto e elogiar abundantemente as habilidades da nora, sem mostrar o menor ressaibo de despeito. Pouco depois, quando se encontravam na sala, a jovem sentiu-se encorajada a abrir-se com essa senhora tão amável e compreensiva, que tinha gostado tanto das suas berinjelas (quanto não tinha ela suado ao prepará-las, sabendo que seria uma espécie de teste “tudo-ou-nada” das suas qualidades culinárias!). Em breve, encontravam-se as duas enfrascadas numa conversa sobre os temores e angústias que uma jovem esposa tem de enfrentar. E a nossa sogra, feliz, ia derramando o seu coração em conselhos e explicações que iam desde os lugares onde se encontravam as melhores pechinchas até o modo de organizar o horário para compaginar um trabalho externo com o cuidado do lar…

Foi assim que essa sogra descobriu que não tinha perdido, mas conquistado posições. A partir desse momento, devia passar a oferecer a esses filhos outro tipo de alimento, muito melhor do que as berinjelas, e não já passado em ovo e farinha, mas em carinho. Percebeu que, se por força das circunstâncias, não podemos mais continuar a exercer certas atividades, há sempre outras em que podemos continuar a servir.

Nada, nem as nossas limitações, nem as dos outros, nada de nada pode impedir-nos de descobrir sempre novas formas de serviço. Há tanto trabalho a fazer, há tantas ajudas de que os outros estão necessitados, que não vale a pena perdermos o tempo lamentando a falta de um ou outro desses pequenos meios de comprazer os nossos familiares a que já nos havíamos acostumado. Uma pequena renúncia pode abrir-nos imensos horizontes aos nossos desejos de bem-fazer, tão ou mais eficazes do que aquilo que já vínhamos praticando.

Uma mãe dá sempre o melhor ao seu filho, e não porque o dizem as campanhas publicitárias em torno do “dia das mães”, mas porque é isso o que Deus espera que ela dê aos seus filhos, noras e genros. E esse “melhor” não se resume nem de longe ao cardápio das refeições. Consiste nada mais nada menos do que na dádiva do próprio coração.

A amizade, o carinho pessoal, deve ser a base do nosso relacionamento com as noras e genros. Não há nada tão nefasto como “massificar” as pessoas, tentando, por exemplo, enxertar uma nora recém-chegada como se fosse apenas “mais uma” no bloco ou clã familiar. Por muito simpáticos que sejam os membros de uma família, por muito agradável que seja ao genro ou à nora sentirem-se parte dessa comunidade inicialmente estranha que é a família da mulher ou do marido, o que eles precisam urgentemente, como primeira coisa, é serem considerados suficientemente importantes para merecerem uma atenção individual, um tratamento direto e, ao mesmo tempo, cheio de delicadeza.

Pagando o Enterro da Sogra

publicidade anuncie

Um marido ganhou num sorteio, 3 passagens para Jerusalém, chegou em casa contou para a esposa, mandou ela arrumar as malas.
Estava ligando para chamar também a mãe dele, quando começou uma discussão, um debate, com a esposa que queria levar a mãe dela.
Para dar final na briga ele concordou em levar a mãe dela (a sogra).
Chegando lá, estavam visitando o local onde Cristo foi enterrado e ressuscitou quando de repente a sogra emocionada passa mal, levam a velha para o hospital, mas ela acaba morrendo.
Depois de algum tempo o marido conversando com o pessoal do hospital, para ver o que ia fazer, perguntou quanto custava o enterro em Jerusalém.
Disseram que na moeda brasileira seriam uns R$1.000,00. Perguntou também quanto ficaria para mandar o corpo para o Brasil.
Responderam que com o transporte e tudo ficaria uns R$20.000,00.
O marido então escolheu mandar para o Brasil.
O pessoal do hospital e a esposa olharam espantados para ele sem entender, e perguntaram porque mandar para o corpo Brasil se é mais caro?
O marido respondeu:
- Aqui em Jerusalém vocês já tiveram um caso de ressurreição, prefiro não arriscar…

Fonte: Mensagens e Poemas