Fogos de Artifício (Firework)

publicidade anuncie

Você já se sentiu
Como um saco de plástico
Voando com o vento
Querendo começar de novo
Você alguma vez já se sentiu
Se sentiu tão frágil
Como um castelo de cartas
A um simples sopro de desmoronar
Você alguma vez já se sentiu
Como se estivesse enterrado
A sete palmos
Você grita, mas parece que ninguém ouve nada
Você sabe que há
Uma chance para você
Pois você tem um brilho
Você só tem que…
Acender a luz
E deixá-la brilhar
Seja o dono da noite
Como o dia da independência
Pois, baby, você é como fogos de artifício
Venha e mostre do que você é capaz
Deixe todos boquiabertos falando “oh, oh, ooooh”
Enquanto você cruza o céu
Baby, você é como fogos de artifício
Venha e deixe as suas cores explodirem
Deixe todos boquiabertos falando “oh, oh, ooooh”
Você vai deixá-los todos supresos, surpresos, surpresos
Você não precisa se sentir
Como um desperdício de espaço
Você é original
Não pode ser substituído
Se você ao menos soubesse
O que o futuro lhe aguarda
Depois do furacão
Vem o arco-íris
Talvez a razão, por quê
Todas as portas se fecharam
Seja pra você poder abrir uma
Que te leverá ao rumo perfeito
Como um relâmpago
O seu coração reluz
E você saberá quando chegar a hora
Você só tem que
Acender a luz
E deixá-la brilhar
Seja o dono da noite
Como o dia da independência
Pois, baby, você é como fogos de artifício
Venha e mostre do que você é capaz
Deixe todos boquiabertos falando “oh, oh, ooooh”
Enquanto você cruza o céu
Baby, você é como fogos de artifício
Venha e deixe as suas cores explodirem
Deixe todos boquiabertos falando “oh, oh, ooooh”
Você vai deixá-los todos supresos, surpresos, surpresos
Bum, bum, bum
Mais brilhante até que a lua, lua, lua
Esse sempre foi você, você, você por dentro
E agora é hora de deixar isso aparecer
Pois, baby, você é como fogos de artifício
Venha e mostre do que você é capaz
Deixe todos boquiabertos falando “oh, oh, ooooh”
Enquanto você cruza o céu
Baby, você é como fogos de artifício
Venha e deixe as suas cores explodirem
Deixe todos boquiabertos falando “oh, oh, ooooh”
Você vai deixá-los todos supresos, surpresos, surpresos
Bum, bum, bum
Mais brilhante até que a lua, lua, lua
Bum, bum, bum
Mais brilhante até que a lua, lua, lua

Fonte: vagalume

A Ostra e o Caranguejo

Uma ostra estava apaixonada pela lua.
Quando seu grande disco de prata aparecia no céu, ela passava horas a fio, com as conchas abertas, olhando para ela.
Certo dia um caranguejo percebeu que a ostra se abria durante a lua cheia e pensou em comê-la.
A noite seguinte, quando a ostra se abriu, o malvado caranguejo jogou uma pedra dentro dela.
Nesse momento, a ostra tentou se fechar, mas a pedra a impediu.
Então o astuto caranguejo saiu de seu esconderijo, abriu suas pinças afiadas e quase comeu a ostra inocente, se não fosse um tubarão que apareceu das profundezas para assustá-lo.
Pois é exatamente isso o que acontece com quem abre muito a boca para divulgar seus segredos. Sempre existe algum ouvido querendo se apoderar deles.

Leonardo da Vinci

Fonte: Contando história.

Grau Dez

Yo te quiero

A vitória há de ser tua, tua, tua
Morenininha prosa
Lá no céu a própria lua, lua, lua
Não é mais formosa
Rainha da cabeça aos pés
Morena eu te dou grau dez!

O inglês diz “yes, my baby”
O alemão diz “iá, corração”
O Francês diz “bonjour, mon amour”
Très bien! Très bien! Très bien!

O argentino ao te ver tão bonita
Toca um tango e só diz “Milonguita”
O chinês diz que diz, mas não diz
Pede bi! Pede bis! Pede bis!

Yo te quiero

Lamartine Babo-Ary Barroso, 1935

Meia Lua

Lua e meia.
Lua Nova, Lua Cheia.
Sete luas!
Meus amores…
Lua Cheia, na areia, forma flores!
Lua Nova, vira a esquina,
Tem pudores…
A Crescente, transforma a menina em donzela.
A Minguante, vaga errante!
Meia-lua, Meia-noite.
Noite linda!
Lua Nova… Noite bela…

Manhã de Primavera

Michael Jackson – Thriller (tradução)

Composição: Rod Temperton

Canção do Amor-Perfeito


Eu vi o raio de sol
beijar o outono.
Eu vi na mão dos adeuses
o anel de ouro.
Não quero dizer o dia.
Não posso dizer o dono.

Eu vi bandeiras abertas
sobre o mar largo
e ouvi cantar as sereias.
Longe, num barco,
deixei meus olhos alegres,
trouxe meu sorriso amargo.

Bem no regaço da lua,
já não padeço.
Ai, seja como quiseres,
Amor-Perfeito,
gostaria que ficasses,
mas, se fores, não te esqueço.

Cecília Meireles, in ‘Retrato Natural’

Conquista


Livre não sou, que nem a própria vida
Mo consente.
Mas a minha aguerrida
Teimosia

Círculo Vicioso

Bailando no ar, gemia inquieto vaga-lume:
– Quem me dera que fosse aquela loura estrela,
que arde no eterno azul, como uma eterna vela !
Mas a estrela, fitando a lua, com ciúme:

– Pudesse eu copiar o transparente lume,
que, da grega coluna á gótica janela,
contemplou, suspirosa, a fronte amada e bela !
Mas a lua, fitando o sol, com azedume:

– Misera ! tivesse eu aquela enorme, aquela
claridade imortal, que toda a luz resume !
Mas o sol, inclinando a rutila capela:

– Pesa-me esta brilhante aureola de nume…
Enfara-me esta azul e desmedida umbela…
Porque não nasci eu um simples vaga-lume?

Machado de Assis