A Gralha

Júpiter resolveu, isso foi dito, criar um soberano dentre os pássaros, e fez saber que, num certo dia, todos juntos deveriam vir à sua presença. Nesse dia, ele pessoalmente escolheria o mais belo dentre todos, para ser proclamado o rei dos pássaros.

Uma Gralha, sabendo de sua própria feiúra, saiu procurando nos campos e florestas, as penas que haviam caído das asas dos outros pássaros, e juntando tudo, colou-as por cima de sua plumagem.

Quando chegou o dia marcado, e os pássaros se apresentaram diante de Júpiter, a Gralha desfilou com sua elegante e exuberante plumagem.

Como Júpiter pretendia torná-la o rei, por conta da beleza da sua plumagem, os outros pássaros indignados protestaram, e cada um arrancou dela a pena que lhe pertencia, e a Gralha era outra vez apenas uma Gralha.

Moral da História: Nobreza não é algo que se consegue com mérito alheio ou pelas aparências.

Autor: Esopo