Cinco Minutos

publicidade anuncie

No parque, uma mulher sentou-se ao lado de um homem em um banco perto do playground.
- Aquele, logo ali, é meu filho. Ela disse, apontando para um pequeno menino usando um suéter vermelho e que deslizava no escorregador.
- Um bonito garoto. O homem respondeu e completou,
- Aquela usando vestido branco, pedalando em sua bicicleta, é minha filha.
Então, olhando o relógio, o homem chamou a sua filha.
- Melissa, o que você acha de irmos?
E Messa suplicou:
- Mais cinco minutos, pai. Por favor. Só mais cinco minutos.
O homem concordou e Melissa continuou pedalando sua bicicleta, para alegria de seu coração.
Os minutos se passaram e o pai levantou-se e novamente chamou sua filha.
- Hora de ir agora?
Outra vez Melissa pediu,
- Mais cinco minutos, pai. Só mais cinco minutos.
O homem sorriu e disse,
- Está certo!
- O senhor é certamente um pai muito paciente, – a mulher comentou.
O homem sorriu e disse,
- O irmão mais velho de Melissa, Tommy, foi morto por um motorista bêbado no ano passado quando montava sua bicicleta perto daqui.
Eu nunca passei muito tempo com Tommy e agora eu daria qualquer coisa por apenas mais cinco minutos com ele.
Eu me prometi não cometer o mesmo erro com Melissa.
Ela acha que tem mais cinco minutos para andar de bicicleta.
Na verdade, eu é que tenho mais cinco minutos para vê-la brincar.
Em tudo na vida estabelecemos prioridades.
Quais são as suas prioridades?
Dê, hoje, a alguém que você ama mais cinco minutos
de seu tempo!

Fonte: paixão e ternura

Gostos

Nossos gostos mudam à medida que amadurecemos.
As garotas gostam de bonecas pintadas, e os meninos de soldados.
Quando crescem, algumas garotas gostam de soldados
e alguns rapazes de bonecas pintadas.

Sober – Pink (tradução)

publicidade anuncie

Eu não quero ser a garota que ri mais alto
Ou a garota que nunca quer estar sozinha
Eu não quero ser aquela que liga às 4:00 da manhã
Porque eu serei a unica que nao estarei em casa

Ahh, o sol está cegando (me cegando)
Eu fiquei acordada de novo
Oh, eu estou descobrindo
Que não é assim que eu quero que minha história termine

Eu estou segura lá em cima, nada pode me tocar
Porque eu sinto que esta festa acabou?
Não sinto dor, nao sinto nada, você é a perfeiçao
Mas como posso me sentir tão bem assim, sóbria?

Eu não quero ser a garota que tem de preencher o silêncio
O silêncio me assusta porque ele grita a verdade
Por favor, não me diga que tivemos aquela conversa
Eu não vou lembrar, guarde o seu fôlego, qual o motivo para usá-lo?

Ahh, a noite está chamando
Ela sussurra para mim ” vem brincar”
Ah.. Eu estou caindo…
E se eu me deixar ir, sou a única culpada

Eu estou segura lá em cima, nada pode me tocar
Porque eu sinto que esta festa acabou?
Não sinto dor,nao sinto nada, você é a perfeição
Mas como posso me sentir tão bem assim, sóbria?

Descendo, Descendo, Descendo
Girando, girando, girando
Procurando por mim mesma, sóbria

Quando está bom, então está bom
Tudo está bom, até que fica mau
Até que você está tentando encontrar aquela antiga você
Eu me feri e gritei `nunca mais`
Quebrada em agonia
Apenas tentando encontrar um amigo
Oh

As abelhas

A AAAAAAAbelha mestra
E aaaaaaas abelhinhas
Estão tooooooodas prontinhas
Pra iiiiiiir para a festa.

Num zune que zune
Lá vão pro jardim
Brincar com a cravina
Valsar com o jasmim.

Da rosa pro cravo
Do cravo pra rosa
Da rosa pro favo
Volta pro cravo.

Venham ver como dão mel
As abelhinhas do céu!

Vinícius de Moraes

Faz de conta

Quando as pedras sopram o ar
E o vento consigo leva os grãos de areia,
A vida escarra a lúdica ternura
De um viver para brincar.
Brincar e sorrir
Ou fazer de conta…

Uma Criança

Existia uma criança, que adorava brincar, dava piruetas e pulava sem parar.

Mas um dia, algo lhe chamou a atenção algo que havia tocado seu coração, um animal muito pequeno.

Esse animal era uma formiguinha, e como não sabia falar, a chamou de chumiguinha.

A pequena criança ficava observando, os seus pequenos passos, pára lá, e para cá, com coisas para carregar.

Um dia,de repente, a criança falou, e começou a apontar, uma formiga a carregar.

Anos depois a criança, tinha dois anos, e falou:
“Se cada um, fosse igual a formiga, no mundo, não haveria guerra”.

Os pais se emocionaram, e começaram a chorar, pois já sabia, que seu filho tinha, uma vida a enfrentar.

Como pode, uma criança, já saber do que se passa,e o mundo não se tocar.

Se cada um pensasse, como a criança, o mundo não estaria assim.